terça-feira, 20 de junho de 2017

Bahia reduziu em 17% as mortes no trânsito

Bahia reduz em 17% as mortes no trânsito

 

O Ministério da Saúde apontou uma redução de 17% no número de mortes em decorrência de acidentes de trânsito na Bahia. De acordo com dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), foram registrados 2.737 óbitos em 2014, contra 2.265 em 2015.

O estado está em terceiro no ranking de queda no índice, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. Em todo o Brasil, o número de mortes relacionadas a acidentes de trânsito sofreu queda de 11%.

O Ministério apontou a efetividade das ações de fiscalização após a lei seca como possível causa da redução, assim como a desaceleração da economia. "Além de mudar os hábitos dos brasileiros, a lei trouxe um maior rigor na punição e no bolso de quem a desobedece", pontuou a pasta. 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

TIM e UNICEF tentam buscar crianças fora da escola





 TIM e UNICEF lançam  plataforma  para  identificar crianças fora da escola

No Brasil, 2.802.258 crianças e adolescentes de 4 a 17 anos estão fora da escola, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015. Pensando nisso, UNICEF, Instituto TIM, Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) lançou ontem  a Busca Ativa Escolar. A plataforma ajudará a localizar essas crianças e adolescentes, identificar as causas da exclusão e tomar as medidas necessárias para a (re)matrícula e a permanência na escola.
A exclusão escolar afeta principalmente meninos e meninas das camadas mais vulneráveis da população, já privados de outros direitos constitucionais. Do total fora da escola, 53% vivem em domicílios com renda per capita de até ½ salário mínimo.  Encontrar cada uma dessas crianças e adolescentes, retirá-las desse contexto de exclusão e trazê-las para a escola, garantindo a permanência e a aprendizagem, só é possível por meio de uma ação intersetorial, envolvendo diferentes áreas – Educação, Saúde e Assistência Social, dentre outras. “Os fatores de exclusão escolar são diversos e ultrapassam os muros da escola. Para saná-los, é essencial que as mais diversas áreas do poder público assumam um compromisso pelo direito de aprender desses meninos e meninas”, explica Gary Stahl, Representante do UNICEF no Brasil.
A Busca Ativa Escolar é uma plataforma gratuita para auxiliar os munícipios no enfrentamento da exclusão escolar. A proposta visa oferecer, em um mesmo ambiente digital, conteúdos e ferramentas tecnológicas para que representantes de diferentes áreas do poder público possam identificar crianças e adolescentes fora da escola e tomar as providências necessárias para sua (re)matrícula e permanência no ambiente escolar.
O fluxo da plataforma é todo feito pela internet. Ela pode ser acessada em qualquer dispositivo, como computadores, tablets, celulares (SMS ou smartphones). “A plataforma foi criada em software livre – ou seja, pode ser adotada gratuitamente por qualquer município, sem custo algum. Ela contribui para o cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação e o enfrentamento da exclusão escolar utilizando Tecnologias da Informação e Comunicação”, explica Manoel Horácio, presidente do Instituto TIM. “Além disso, sempre nos preocupamos com a escalabilidade do projeto. A solução foi pensada de maneira com que as enormes diferenças entre os municípios brasileiros não sejam impeditivas para a realização da busca ativa”, afirma.
O processo começa com um alerta sobre uma criança ou adolescente que esteja fora da escola. Ao encontrar um desses meninos e meninas, o agente comunitário envia o alerta, por meio de SMS, aplicativo e site. A partir daí, um grupo intersetorial de profissionais inicia uma série de ações, que vão desde uma conversa com a família, para entender as causas da exclusão, até o encaminhamento do caso para as áreas responsáveis por garantir a (re)matrícula dessa criança ou adolescente, bem como pelo acompanhamento da sua vida educacional.   " Além do PNE, os planos municipais de educação também preveem a realização da busca ativa. Assim, nós, dirigentes municipais de educação, precisamos saber quem são essas crianças e adolescentes, onde elas estão e entender os motivos que as levaram a abandonar a escola. Incluí-las e garantir a permanência e o aprendizado de cada uma delas é tarefa prioritária da educação, mas que deve ser realizada de maneira integrada com as demais áreas do município.", afirma Alessio Costa Lima, presidente da Undime.
“A Busca Ativa Escolar contribui para a criação de ações intersetoriais no território, sob a perspectiva da garantia de direitos. Por meio dela, forma-se uma rede com Educação, Saúde, Cultura, sociedade civil e diferentes organizações para garantir o retorno desses meninos e meninas para a escola. Na Assistência Social, a gente trabalha nessa perspectiva da família, de olhar para a autonomia de cada criança e adolescente e para os motivos que os afastam da escola, contribuindo para que consigam voltar à escola e permanecer nela”, complementa Vanda Anselmo, presidente do Congemas.
“Conseguimos envolver todas as áreas de Campina Grande (PB) em prol das crianças e adolescentes, por meio da estratégia Busca Ativa Escolar. Os agentes de saúde tiveram papel fundamental no projeto, fazendo alertas precisos. Como o alerta vai diretamente para o grupo responsável, passamos a conseguir uma resposta mais imediata. Todos os casos localizados foram resolvidos e as crianças e os adolescentes estão hoje na escola. A Busca Ativa Escolar virou parte da nossa rotina”, conta a professora Iolanda Barbosa, Dirigente Municipal de Educação de Campina Grande, um dos oito municípios que participou do piloto da iniciativa, realizado em 2016. Além de Campina Grande, Anápolis (GO), Itaúna (MG), Tabuleiro do Norte (CE), Serrinha (BA), Bujari (AC), Vilhena (RO) e São Bernardo do Campo (SP) fizeram parte do piloto, se organizando intersetorialmente para encontrar crianças e adolescentes fora da escola e contribuindo para testar e aprimorar a metodologia e a plataforma da Busca Ativa Escolar.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Campanha de Vacina contra a gripe segue até dia 09 de junho

Quem ainda não se vacinou contra a gripe terá mais uma oportunidade de se proteger contra a doença. O Ministério da Saúde irá prorrogar a campanha nacional até o dia 9 de junho. O esforço é para alcançar a meta de vacinação que, neste ano, é de 90%. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (25), durante reunião da Comissão dos Intergestores Tripartites (CIT) e teve como motivo a baixa adesão do público-alvo à campanha.

A campanha publicitária, que tem como padrinho o sambista Martinho da Vila, continuará sendo veiculada em TV aberta, rádio, nos meios impresso (jornais e revistas), mídia exterior (busdoor, placas em ruas e avenidas, abrigo de ônibus, metrô), no meio online (internet e com ações nas redes sociais). Até a manhã desta quinta-feira (25) foram vacinados 35,1 milhões de brasileiros. Esse total considera todos os grupos com indicação para a vacina, incluindo população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades. A população prioritária desta campanha, que não considera esses grupos, é de 54,2 milhões de pessoas. Desse total, 63,6% foram vacinados.

Para a 19ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza, o Ministério da Saúde adquiriu 60 milhões de doses da vacina, garantindo estoque suficiente para a vacinação em todo o país. A coordenadora Nacional do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, alerta sobre a importância do público-alvo se imunizar o quanto antes para evitar a gripe e seus possíveis agravamentos. “É importante que a população da campanha se vacine neste período para ficar protegida quando o inverno chegar. A vacina demora 15 dias para fazer efeito no organismo, por isso o Ministério da Saúde planeja a campanha antes do inverno, período de maior circulação dos vírus da influenza”, destacou Carla Domingues.

Até o momento, nenhum grupo prioritário atingiu a meta de vacinação. Entre os públicos-alvo, os idosos registraram a maior cobertura vacinal, com 15,1 milhões de doses aplicadas, o que representa 72,4% deste público, seguido pelas puérperas (71,2%) e indígenas (68,6%). Os grupos que menos se vacinaram são as crianças (49,9%), gestantes (53,4%), professores (60,2%) e trabalhadores de saúde (64,2%). Além do grupo prioritário, também foram aplicadas 7,1 milhões de doses nos grupos de pessoas com comorbidades, população privada de liberdade e trabalhadores do sistema prisional.

Os estados com a maior cobertura de vacinação no país, até o momento, são: Amapá (85,7%), Paraná (78,1%), Santa Catarina (77,7%), Rio Grande do Sul (74%), e Goiás (70,1%). Já os estados com menor cobertura são: Roraima (47,9%), Rio de Janeiro (49%), Pará (52,1%), Mato Grosso (55,8%), Rondônia (56,2%), Acre (56,4%) e Mato Grsosso do Sul (57,1%). Entre as regiões do país, o Sul apresenta maio cobertura vacinal, com 76,3%, seguida pelas regiões Centro-Oeste (63,7%), Nordeste (62,3%); Sudeste (61,2%) e Norte (58,2%).

A vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação para crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores que são a novidade deste ano.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher


Neste  domingo  dia  28 de  maio comemora-se o "Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher", data que deve ser lembrada sobre a importância de exames preventivos para detectar precocemente doenças em todas as fases da mulher, como câncer do colo do útero, osteoporose e câncer de mama etc. Apesar disso, 40% das brasileiras, com idade entre e 50 a 69 anos, não realizam exames regularmente, segundo o último levantamento do IBGE. Detectar a fase madura da mulher como a chegada da menopausa pode ser muito mais simples do que se imagina. Os anos vão passando e o corpo da mulher mudando. 

O inicio é marcado com falhas da menstruação, chamada de climatério ou perimenopausa, até chegar o final total, um ano seguido sem menstruar, termino da fase reprodutiva da mulher.  O comum é que a menopausa gera insegurança, apresenta alterações de humor, a queda na libido e outros incômodos.  Já que a menopausa é um estágio pelo qual todas as mulheres com mais de 45 anos terão de passar, detectar a tempo e com ajuda de um médico endocrinologista, sempre é possível superar essa fase de transição feminina e manter a saúde equilibrada e com tranquilidade. Ignorar as mudanças geradas pela chegada da menopausa não é a melhor saída. 

Hoje qualquer mulher pode acompanhar ou monitorar, em qualquer lugar, esta fase com muita facilidade e praticidade com um simples teste de urina vendido em farmácias e drogarias. Assim detectada esta fase, a menopausa, quando os ovários pararam de funcionar, além da mulher não poder mais engravidar, as glândulas interrompem a produção de estrogênio e progesterona. Mas, muito cuidado no climatério, o período em que a menstruação começa a ficar irregular, pois é nessa fase que os incômodos passam a surgir.

 A menstruação fica irregular, o fluxo pode aumentar ou diminuir. Cerca de 60% das mulheres sofrem dessa disfunção. Entre as queixas recorrentes de pacientes na menopausa está a falta de libido, atingindo cerca de 60% das mulheres. Estudos indicam que a queda de libido na transição para menopausa começa 20 meses antes da última menstruação e aumenta com o passar dos anos, principalmente nos primeiros cinco anos.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Prefeitura de Aracaju cria Comitê Sergipano

Um comitê formado por entidades da sociedade civil, que tem como objetivo lutar contra a aprovação de leis que vão na contramão da manutenção dos direitos adquiridos pela população nos últimos anos. Visando esse objetivo, nesta segunda-feira, 13, durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Sergipe, foi criado o Comitê Sergipano de Direitos Sociais. 
Para a vice-prefeita e secretária municipal da Assistência Social e Cidadania, Eliane Aquino, a população brasileira deve se empoderar cada vez mais desses espaços para lutar contra possíveis retrocessos que a aprovação de algumas reformas, como a da Previdência, podem trazer.
“Nós estamos vivendo um momento ímpar e muito triste no nosso país. Principalmente no tocante às questões trabalhistas, essa nova reformulação pode trazer muito prejuízo na vida dos cidadãos e das cidadãs do Brasil. Com uma frente dessa sendo mobilizada, com participação da população, do poder público e de várias entidades organizadas, só quem tem a ganhar é o próprio povo. Nós queremos a chamar atenção do Congresso Nacional para que eles escutem os municípios, as pessoas que tanto lutaram e que estão receosos em perder seus direitos”.
Para o coordenador de Equidade da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), Paulo Victor, o papel da Prefeitura de Aracaju é apoiar a população na defesa de seus direitos. “Quando a sociedade civil se organiza para defender os direitos da população, cabe a nós, da Prefeitura, que fomos eleitos com uma plataforma democrática, estimular que a sociedade se organize, defenda seus direitos e possa ter na Prefeitura de Aracaju e na diretoria de Direitos Humanos importantes aliados. É a população fazendo a sua parte”.
O presidente da OAB\SE, Henri Clay Andrade, esclarece sobre a importância de um debate como esse ser levado para vários espaços de discussão em Sergipe, e ainda acrescenta que a população precisa avaliar junto ao Governo Federal a relevância de qualquer reforma que coloque em cheque os direitos da população. O presidente da OAB\SE, Henri Clay Andrade, esclarece sobre a importância de um debate como esse ser levado para vários espaços de discussão em Sergipe, e ainda acrescenta que a população precisa avaliar junto ao Governo Federal a relevância de qualquer reforma que coloque em cheque os direitos da população.
“O Comitê irá realizar seminários em todo o estado de Sergipe para fomentar a cultura do debate e dar acesso a informações mais detalhadas sobre o que representam para a vida do povo brasileiro estas reformas que estão tramitando em regime de urgência no Congresso Nacional. As reformas da 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Dia Nacional da Mamografia

A IMPORTÂNCIA DO EXAME E QUANDO ELE DEVE SER REALIZADO
Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que, no Brasil, as taxas de mortalidade continuam elevadas devido ao diagnóstico tardio

Não é nenhum segredo que amamentação, boa alimentação, prática de exercícios e controle da massa corporal reduz o risco de câncer de mama. Porém, deve-se destacar a importância do autoexame e dos exames de rastreio, conforme orientação médica, a fim de uma possível detecção precoce das alterações mamárias de maior risco.

Apesar de todas as informações, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 40% das mulheres brasileiras, de 50 a 69 anos de idade, não fazem mamografia, faixa etária prioritária para o exame preventivo. “A prevenção é a melhor forma de lidar com qualquer doença, principalmente, quando falamos do câncer. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial) e, dependendo do tipo do câncer, as chances de cura chegam a 95%. Portanto, quanto mais cedo o tratamento for iniciado, maiores são as chances de cura”, comenta Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis.

O câncer de mama é mais comum a partir dos 50 anos e, à medida que a idade avança, torna-se maior o risco de desenvolver a doença. No entanto, o especialista alerta que mulheres com histórico familiar, independentemente da idade, são mais suscetíveis a desenvolvê-lo. “Mulheres a partir dos 40 anos podem fazer mamografia uma vez ao ano. Porém, o Ministério da Saúde, recomenda, de um modo geral, que esta prática se inicie a partir dos 50 anos. Caso tenham algum parente próximo com câncer de mama, exista algum nódulo ou suspeita de doença, o início da investigação deve ser antecipado. A ultrassonografia pode ser indicada como exame complementar, assim como há indicações específicas para o rastreamento com ressonância nuclear magnética. As mulheres com fatores de risco devem ter atenção especial e não postergar a procura de uma orientação especializada”.

No entanto, ainda que não existam casos na família, a pessoa pode adquirir a doença, sobretudo, se estiverem presentes alguns fatores de risco tais como:obesidade, tabagismo, ingestão regular de álcool, primeira menstruação em uma idade precoce, menopausa após os 50 anos, primeira gravidez após os 30 anos, ausência de gravidez, a própria predisposição genética, entre outros.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

MEC prorrogou prazo de inscrição do Sisu

                            


 
O Ministério da Educação (MEC) prorrogou as inscrições dos estudantes no Sistema de Selação Unificada (Sisu) até as 23h59 do próximo domingo (29). O prazo estava previsto para terminar hoje (27). O ministério decidiu prorrogar após estudantes terem relatado dificuldades para acessar o sistema. O resultado está mantido para segunda-feira (30).

"Em atenção aos estudantes, que manifestaram o pedido, e em virtude das dificuldades de acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) nos primeiros dias, o MEC decidiu prorrogar o prazo de inscrições em 48 horas", diz o comunicado do ministério.

Até as 18h desta quinta-feira (26), foram registrados 2.090.451 inscritos e 4.033.178 inscrições. Cada candidato pode escolher até duas opções de curso universitário.

 Ao todo, são 238.397 vagas em 131 instituições públicas, entre universidades federais e estaduais, institutos federais e instituições estaduais.

O Sisu seleciona os estudantes com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cabe a cada instituição definir o cálculo que utilizará para a seleção dos novos alunos. Para participar do processo, o estudante não pode ter tirado nota zero na redação do exame. Ao todo, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem em 2016.

O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro. Os candidatos que não forem selecionados na chamada regular poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro. Esses candidatos serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Segunda Campanha do Samu foi um sucesso




Após o sucesso nos dois primeiros dias da campanha ‘Sou amigo do Samu, não passo trote’, realizada no Shopping Prêmio, em Nossa Senhora do Socorro, a direção do centro de compras solicitou ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe) que fosse realizado mais um dia da ação. Por isso, no último sábado, 14, dia de movimentação intensa no local, as atividades do projeto voltaram a envolver crianças, jovens e adultos.
De acordo com o coordenador do Núcleo de Educação Permanente (NEP/Samu), Ronei Barbosa, o público foi bastante receptivo e participou ativamente de todas as ações educativas propostas pela equipe da campanha. “Tivemos uma interação muito importante para o bom resultado do trabalho, principalmente do público infantil, que se envolveu nos atendimentos simulados, na apresentação da peça teatral e fizeram muitas perguntas sobre o tema”, avaliou.
Rosângela Almeida levou os filhos para participar das atividades e contou que ensina a eles a importância do trabalho do Samu. “Lá em casa todos sabem que não se deve passar trote. Já expliquei como funciona o serviço e quando se pode ligar para pedir ajuda. Eles sabem que se fizerem o contrário é castigo na certa”, revelou, enquanto a filha, Sarah Sofia de Almeida Ribeiro, assistia atentamente ao espetáculo do Grupo Cones de Teatro.
Ações de rotina
Ações educativas fazem parte da rotina do Samu 192 Sergipe e, segundo Ronei Barbosa, todas as atividades propostas pelo NEP visam à melhoria da assistência prestada aos usuários do serviço, seja através da qualificação técnica dos profissionais ou por meio de práticas de prevenção e promoção da saúde.
“No caso dos trotes, acreditamos que a partir do momento que a população conhece o trabalho desenvolvido pelo Samu 192 Sergipe, passando a entender o quanto ele é importante para comunidade, há um processo de concretização que naturalmente implica na diminuição dos índices de trotes; principalmente em relação às crianças, pois elas estão na fase de formação da personalidade”, ponderou.
Na última semana, 1085 ocorrências foram atendidas pelo Samu, entre assistências realizadas com Unidades de Suporte Básico (USB), Unidades de Suporte Avançado (USA), Motolâncias e orientações médicas passadas pelo telefone. Já os trotes atingiram a marca de 1.272 ligações.
“Quem pratica as falsas chamadas, além de correr o risco de responder processo judicial, deve pagar uma multa de R$ 500,00 e terá o CPF bloqueado de 30 a 90 dias sem poder habilitar um novo número”, alertou Ronei Barbosa.
Outras campanhas
No mês de janeiro, além das atividades da campanha contra os trotes, o Núcleo de Educação Permanente também realizada o projeto ‘Sou amigo do Samu, não uso celular ao volante’, com o objetivo de conscientizar os motoristas sobre dos perigos de dirigir e falar ao celular. No próximo mês, o tema das ações será ‘Seja amigo do Samu – se dirigir não beba’. “Temos três comandos educativos pré-agendados: dia 22 na Avenida Melício Machado, dia 23 na entrada da cidade e dia 24 na Ponte Aracaju/Barra dos Coqueiros.